Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

21 de abril de 2008

Há algo de estranho com Alberto João Jardim

Será que ainda iremos ver Cavaco Silva a elogiar os dirigentes chineses pelo crescimento económico que a China tem conseguido incrementar e manter? — pergunta o Carlos A. Alves em Alberto João Jardim abre fractura entre Cavaco e Sócrates.

É oportuna, portanto, a minha própria dúvida. Passa-se algo estranho com Alberto João Jardim. O Presidente da República fez-lhe um elogio directo que é de todo em todo despropositado e desproporcionado; Cavaco podia ter dito alguma banalidade sobre a pretensa “evolução” da Madeira, mas não se ficou por aí, foi mais activo.

Há dias outra alta figura do Estado, o socialista Jaime Gama, tinha espantado meio mundo por fazer outra apologia.

Digo-vos directamente: não acredito na sinceridade nem de Gama, nem de Cavaco. Há ali algo que não bate certo, algo de estranho. O poder de Alberto João Jardim sobre algumas pessoas parece ir além do normal poder do dirigente político extorsionário que metade do país, eu incluído, formou dele ao longo destas décadas todas.

Não menos estranha é a posição de João Jardim na crise do PSD. Não se envolveu directamente com uma desculpa tonta, mas não é isso: é o facto de não ter aproveitado para as suas habituais pressões e condicionalismos.