Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

13 de junho de 2008

Marcha atrás

O “não” da Irlanda em referendo ao Tratado de Lisboa é uma marcha atrás escusada numa altura destas.

Penso que é melhor irmos pensando nisto: se desconfiamos sistematicamente das decisões das “elites” que elegemos, algo está errado no sistema político que instituímos. Não conheço nenhum sistema que resista muito tempo a sistemáticos curto-circuitos no seu modus operandi.

O pior deste tratado é o pior destes tempos em que os “amanuenses” têm um poder excessivo sobre o curso das “empresas”, muitas vezes maior que os “patrões”. É não ter um ou mais líderes políicos com carisma que o faça engolir às massas.

São os dramas da democracia.