Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

12 de setembro de 2010

O PSD, esse meu antigo objecto de interesse

Como se pode ver na tagcloud, na barra de fundo, o PSD é o tema que mais artigos consome aqui no Certamente!. E isto apesar de já me ter desinteressado, confesso, das laranjas inquietações.

Tal insólita ocorrência deu-se por alturas da eleição do atual líder, Pedro Passos Coelho e está com ela relacionada.

Com Passos o PSD entrava (acreditava eu) numa normalidade democrática e política deixando para trás o período de loucura, desmandos e insanidade que atingiu o ponto essencial na anterior direção de Ferreira Leite.

Acreditava e prometo continuar a acreditar. Passou a existir uma oposição política onde antes reinava a mediática preguiça das perseguições ad hominem encapotadas e da orquestração de propaganda. E isso constitui claramente uma vantagem tanto para os governados (eu e você, leitor) como a quem calhou a fava de gerir um país neste incrível começo de século.

Que raio, a oscilação nas sondagens é uma coisa vulgar. É até boa, ó rapaziada. Dá para corrigir tranquilamente alguns excessos e entusiasmos. Melhor: serve de justificação para largarem o lastro liberal — ou pelo menos reduzirem o volume desse tonitruante pick-up –, que prejudica claramente quem queira ter uma visão de governo do país em geral e da causa pública em particular.

Ah e tal, os adversários lá no PS exultam de gozo por uns décimos? Deixá-lo. É apenas um gozo e vocês fizeram, e farão, o mesmo.

O que conta é isto: a corrida para o poder é uma maratona, não é uma estafeta 4×400.