Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

9 de maio de 2012

A indústria da pobreza

Ao Tiago os pais, irmãos, vizinhos, padres, políticos, opinion-makers e estrelas de televisão disseram: tiras o curso, arranjas um emprego e sais da pobreza.

O Tiago assim fez. Obteve a licenciatura e arranjou um emprego. Comprou uma casa e comprou um carro para ir da casa para o trabalho.

Passaram alguns anos e o Tiago decide voltar à Universidade para tirar o mestrado e arranjar um emprego melhor. Após o que casou e comprou uma casa maior e um carro maior para levar o casal de filhos.

Foi então que descobriu que estava mais pobre do que antes, afundado num mar de dívidas aos bancos. Um banco era dono do seu título universitário. O outro possuía a sua casa. E um terceiro, a carrinha.

Desiludido e desorientado, começou a beber, a ir à igreja e a votar no CDS: pobre por pobre, tornou-se num pobre às direitas e até já vai, honrado, ao banco alimentar. Só lhe falta perder o emprego — mas não falta muito.

Freedom? When I am up to my neck in debt?

Liberdade? Quando estou enterrado até ao pescoço em dívidas?