Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

16 de abril de 2008

República Democrática da Google

republicademocraticadagoogle.jpgJay Weintraub compara a Google à República Democrática da Alemanha, tendo-se dado ao luxo de parodiar a bandeira (aqui reproduzida).

A contestação ao poder de um única empresa está a subir de tom, no que diz respeito à Google. É uma reacção normal, tendo-se verificado no passado, entre outras, com a IBM de a Microsoft.

É também uma reacção útil e que deve ser levada em atenção: permite-nos raciocinar sobre a forma de estarmos preparados para os abusos de posição dominante, sejam activos (como eram no caso da Microsoft) sejam passivos (como parece ser no caso da Google).

Respigo de Guilty Until Proven Innocent:

Google is such a system. It is the equivalent of a socialist state, and each day it ruins the lives of those dependent upon it. For the ruined, the blacklisted, there is no redemption or reprieve. I know. I am one of them, and I could live with that because I had options. I cannot now because often others do not.

E ainda:

Whether you rely on organic search traffic or paid search traffic, if the Google Socialist Sate judges you unfit, your business will be ruined. There are workarounds, but all rely on deceiving the state that you no longer practice your trade.

Isto vem na sequência do artigo de ontem, a Google e o outro lado (o preocupante) do SEO, onde se avisa para um facto repetidamente ignorado: sempre que o Google veja utilidade e valor em desintermediar os conteúdos que indexa (isto é: o trabalho dos bloggers, dos mainstream media e das indústrias culturais), fá-lo-á sem hesitar.