Certamente!

Paulo Querido. Na Internet desde 1989

18 de agosto de 2010

My Favorite Things – uma lição de rigor, por John Coltrane

Tanto quanto uma faixa musical pode alterar a nossa weltanschauung, My Favorite Things fê-lo. Em mais de um sentido, em mais de uma via, não apenas na minha cultura musical, não só na abertura para as músicas fora do “universo” pop rock. Extravasou como exemplo de vida e sinal de humildade.

Eu conhecia a canção e tinha-lhe prestado a atenção normal, com até uma ponta de sobranceria. Saber que Coltrane pegara nela já me impressionava. Ouvi-lo… foi absolutamente desconcertante.

O que Coltrane lhe fez, foram outros quinhentos de descoberta. O improviso com um extremo controlo (paradoxo). A exploração sonora mantendo uma incomum — ia a escrever obssessiva — ligação à melodia.

Um exemplo de rigor. Ou como se pode pegar em barro e moldar uma obra prima.

É um bom tema para ser o terceiro da série Ponto final, destinada a assinalar mais uma semana de felicidade.

(Leitores de feed e newsletter, este link para o video)